Springe direkt zu Inhalt

Prosódia bilíngue: métrica, ritmo e entonação em situações de contato multilíngues

 

Descrição do projeto

O projeto tem dois objetivos principais. Por um lado, fornecemos dados acústicos das línguas americanas de uma forma que permitirá aos linguistas de todo o mundo integrar essas línguas em suas perspectivas de pesquisa. Desta forma, queremos contribuir para ampliar a base tipológica da formação teórica. Ao mesmo tempo, os idiomas e as formas de vida que eles expressam devem se tornar mais visíveis através de seu perfil linguístico em tempos de sua ameaça extrema (http://gbs.uni-koeln.de/wordpress/).

O segundo objetivo diz respeito ao foco de nosso próprio trabalho descritivo e teórico. Queremos alcançar um melhor entendimento da prosódia sob a condição de competência multilíngue. A forma fonológica de um enunciado deve ser explicada a partir da interação de regras ou restrições métricas, rítmicas e intonacionais, que são determinadas de diferentes maneiras pelas competências individuais e universais dos falantes multilíngues. Alcançamos um alto grau de comparabilidade dos dados, utilizando os mesmos procedimentos de gravação em todas as comunidades, o que gera traços típicos de conversação para processar o terreno comum de forma controlada. Damos prioridade aos jogos comunicativos, em cujo contexto, curso discursivo e material lexical são controlados sobre procedimentos que controlam muito fortemente no nível da frase, como a elicitação de enunciados completamente dados ou discourse completion tasks, já que os falantes normalmente desconhecem tais tarefas lingüísticas e queremos criar dados de fala que sejam o mais natural possível.

Na primeira fase do projeto (2015-2017), gravamos enunciados do Quechua e do Espanhol de Conchucos na província de Ancash no Peru e avançamos sua explicação teórica. Para a segunda fase do projeto, atualmente em andamento (2018-2021), estamos trabalhando em parceria com colegas franceses, chilenos e mexicanos que já trabalham há algum tempo em áreas linguísticas onde o espanhol e o português são falados junto com as línguas indígenas americanas.

Os dados resultantes de todos os subprojetos serão transcritos, traduzidos para o espanhol ou português e para o inglês, morfologicamente glosados e fornecidos com metadados em inglês, espanhol e português em um repositório.

O projeto é dirigido pelo Prof. Dr. Uli Reich e pela Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa – Deutsche Forschungsgemeinschaft (n° do projeto DFG 274614727).

 

Subprojetos

Língua País Responsável pelo projeto Parceirxs de cooperação

Coordiation and repository

Germany

Uli Reich

Raúl Italo Bendezú Araujo, Timo Buchholz, Elizabeth Pankratz

Tepehuano

Mexico

Nadiezdha Torres

 

Otomí

Mexico

Alonso Guerrero Galván

Ewald Hekking, Aurelio Nuñez López, Lorena Gamper

Maya Yucateco

Mexico

a determinar

a determinar

Nheengatú

Brazil

Uli Reich

Antônio Lessa

Quechua de Conchucos

Peru

Uli Reich

Raúl Italo Bendezú Araujo, Timo Buchholz

Guaraní

Paraguay

Élodie Blestel

Hedy Penner, Uli Reich

Mapudungún

Chile

Magaly Ruiz

Aldo Olate, Jaqueline Caniguan

Tipo e estrutura das gravações

Os dados linguísticos gerados no âmbito deste projeto são gravações de experiências de elicitação. Em cada experiência, os falantes resolvem diferentes tarefas comunicativas sob a forma de um jogo e são gravados. Todos os falantes bilíngues realizam cada experiência duas vezes, uma na sua variedade local não romance e outra na sua variedade local romance. Em todas essas experiências de elicitação, as expressões resultantes não são escritas. Ao selecionar os materiais (ver "Controle métrico" em espanhol ou inglês), que são cuidadosamente adaptados para cada idioma e região com forte envolvimento de especialistas locais, bem como as regras do jogo, nós mantemos algum controle sobre o conteúdo da conversa como um todo, mas o conteúdo e a forma de cada expressão individual são espontaneamente escolhidos pelos falantes. Juntamente com os parceiros de cooperação nos respectivos países e regiões, chegamos a um acordo sobre um núcleo de experiências comuns. Estas são parcialmente conhecidas da literatura e foram todas testadas através das nossas próprias experiências em Conchucos. Devem ser realizadas em todos os países e regiões participantes, a fim de alcançar a maior comparabilidade possível. Ao mesmo tempo, podemos também encontrar gravações de experiências particulares que são realizadas apenas em uma ou mais regiões específicas, mas não em todas elas. Isso se deve aos diferentes interesses de investigação dos parceiros de cooperação* e às condições locais.

Informações gerais e diretrizes para uma execução tecnicamente tranquila das gravações podem ser encontradas aqui, em espanhol ou inglês.

As experiências individuais são brevemente apresentadas abaixo. Descrições mais detalhadas das experiências (em espanhol e inglês) podem ser encontrados nos respectivos links.

Experimentos Comuns

Imagenes (spa / eng): Os falantes nomeiam objetos que lhes são mostrados em cartões com imagens.

Memoria (spa / eng): Os falantes jogam uma versão do conhecido jogo da memória em que eles têm de identificar e lembrar as posições de cartões com certas imagens.

Maptask (spa / eng): Os falantes conduzem uma conversa que simula direções, mas os mapas que usam não coincidem. O experimento Maptask foi originalmente desenvolvido por Anderson et al. (1991), cujo corpus inglês está localizado na Universidade de Edimburgo e está disponível aqui: http://groups.inf.ed.ac.uk/maptask/

Cuento (spa / eng): Numa versão adaptada do jogo Silent Post, os falantes contam uma história inventada pelos pesquisadores.

Quién (spa / eng): Os falantes jogam uma versão do jogo "Quem sou eu?" em que um deles tem de adivinhar a identidade de uma pessoa que só o outro sabe.

Experimentos Particulares

Cajas (spa / eng): Os falantes tentam adivinhar o conteúdo de várias caixas sem abri-las. Eles discutem e negociam até chegar a um consenso sobre o que está dentro. (Conchucos)

Condir (spa / eng): Uma versão adaptada de uma entrevista sociolinguística com um falante monolíngue em que o entrevistador contradiz o que o falante diz. (Conchucos Quechua)

 

Corpora Disponíveis

As gravações de voz produzidas como parte deste projeto de pesquisa são armazenadas centralmente no repositório da Freie Universität Berlin (Refubium), juntamente com transcrições e traduções, bem como metadados, e são assim livremente acessíveis ao público e não comercialmente utilizáveis (Creative Commons License CC BY-NC-SA 4.0). Você é muito bem-vindo para conduzir a sua própria pesquisa linguística com os nossos dados e nós ficaríamos felizes em ouvir a sua opinião, bem como com qualquer outra forma de feedback.

 Cada corpus individual é representado por 4 arquivos no repositório:

 1. A própria gravação de voz, geralmente a gravação de um único experimento, em formato PCM .wav de 16 bits.

 2. Um arquivo em formato .eaf contendo uma transcrição e um glossário alinhados com a gravação de áudio ao nível da expressão e uma tradução para espanhol e inglês (se a própria gravação estiver em espanhol ou português, o glossário é omitido). O formato .eaf faz parte do programa de anotação ELAN, que foi desenvolvido pelo Instituto Max Planck de Psicolinguística e está disponível gratuitamente aqui: https://tla.mpi.nl/tools/tla-tools/elan/

O ELAN pode ser usado em português. Na mesma página do MPI você também encontrará guias para usar o ELAN em inglês, e Livia Oushiro da USP escreveu um guia em português: http://projetosp2010.fflch.usp.br/sites/projetosp2010.fflch.usp.br/files/SP2010-Manual-Transcricoes.pdf

3. Um arquivo com a mesma informação no formato TextGrid. O formato TextGrid é parte do programa Praat, desenvolvido por Paul Boersma e David Weenink na Universidade de Amsterdã, e é o software mais popular para a análise de dados de fala em Fonética e Fonologia. O Praat também é gratuito. http://www.fon.hum.uva.nl/praat/

O Praat só pode ser usado em inglês, mas em seu site também há links para guias em outros idiomas, e há um guia em português escrito por Catarina Oliveira e António Teixeira da Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro: http://www.usp.br/gmhp/soft/praat.pdf

4. um arquivo em formato .pdf com metadados sobre a gravação, contendo informações sobre o experimento e o falante.

Na tabela a seguir, você encontrará todos os corpora já publicados. O seu número aumentará progressivamente à medida que o projeto for avançando. Ao clicar no nome do corpus, você vai diretamente para a página correspondente no repositório da FU, onde você pode baixar os arquivos para cada experimento individualmente.

Corpus Região Pesquisadores Tipos de experimentos contidos Idioma(s)
Quechua 1 Conchucos, Peru

Bendezú Araujo, Raúl

Buchholz,Timo

Reich, Uli

comum:

Memoria (7x)

Maptask (7x)

Cuento (7x)

Quién (4 x)

particular:

Cajas (4x)

Condir (1x)

Quechua

Citação recomendada (usando Quéchua 1 como exemplo): 

Bendezú Araujo, Raúl, Timo Buchholz & Uli Reich. 2019. Corpora de línguas americanas: Jogos de linguagem interativos da América Latina multilíngue (Quechua 1). Berlin: Freie Universität. http://dx.doi.org/10.17169/refubium-25510

Últimas notícias do projeto: publicações, novidades

  • 28.10.2019: A primeira parte dos dados de Conchucos (Quéchua 1) está online no Refubium e a partir de agora é de livre acesso a todos.
  •  Agosto-Outubro de 2019: Uli Reich esteve com Élodie Blestel (Paris III) em Assunção (Paraguai) e com Antônio Lessa em São Gabriel da Cachoeira (Brasil) e fez gravações em Guarani e Nheengatu para este projeto.
  • 23.04.2019: publicação no suplemento do jornal FU-Tagesspiegel sobre línguas indígenas e o trabalho do projeto
  • Buchholz, Timo & Uli Reich. 2018. The realizational coefficient: Devising a method for empirically determining prominent positions in Conchucos Quechua. In Ingo Feldhausen, Jan Fliessbach & Maria d. M. Vanrell (eds.), Methods in prosody: A Romance language perspective (Studies in Laboratory Phonology 6), 123–164. Berlin: Language Science Press.

     (link) (site do livro)

  • Reich, Uli. 2018. Presupposed Modality. In Marco García García & Melanie Uth (eds.), Focus realization in Romance and beyond (Studies in language companion series Volume 201), 203–227. Amsterdam, Philadelphia: John Benjamins.

     (site do livro)

 

Colaboradorxs

Timo BuchholzRaúl Italo Bendezu Araujo, Elizabeth Pankratz

A criação e publicação de corpora linguísticos leva muito tempo e requer muitos passos: As experiências têm de ser concebidas e testadas e adaptadas com peritos locais. Os materiais devem ser criados. As gravações devem estar tecnicamente limpas. Segue-se a preparação linguística: transcrição, tradução e glosa, de acordo com critérios uniformes e compreensíveis (na medida do possível baseados nas Leipzig Glossing Rules). Por último, os dados devem ser tecnicamente preparados de modo a serem adequados para publicação online. Tudo isso requer a contribuição de muitos colaboradores. Os nossos agradecimentos a todos!

Colaboradores Quéchua e Espanhol em Conchucos

Diretores científicos Diretora técnica Cooperação Local (Huaraz e Huari) Transcrição e Tradução Quéchua (Huaraz) Glossário Quéchua (Lima) Transcrição e Tradução Espanhol (Berlim)

Raúl Bendezú Araujo

Timo Buchholz

Uli Reich

Elizabeth Pankratz

Gabriel Barreto

Leonel Menacho Lopez

Yuli Alicia Cadillo Tarazona

Merlín de la Cruz Huayanay

Efraín Rodolfo Montes Palacios

Leidy Felyna Rosales Gonzales

Jeny Elvira Rosas Julca

Nelson Yonatan Sánchez Evaristo

Marco Antonio Trigoso Aching

Loreta Alva Mansilla

Claudia Arbaiza Varela

Minerva Lucero Cerna Maguiña

Freyda Nisbeth Schuler Tovar

Alonso Vásquez Aguilar

Magalí Bertola

Catalina Torres Orjuela

Recursos